SEGUIDORES: FAÇA PARTE VOCÊ TAMBÉM!

25 de mar de 2011

Teatro e música contra a Dengue

 Nesta tarde de sexta-feira, dia 25 de março, no auditório da Escola Municipal Dr. Viriato Diniz Mascarenhas, os alunos do 5º Ano do turno da tarde, coordenados pelo professor Rogério Trindade, apresentaram a peça teatral "O Super-Informado contra a Dengue". O texto de autoria do próprio professor visa a conscientização de crianças e adultos sobre a participação de todos no combate à Dengue. O auditório ficou repleto de crianças e convidados que aplaudiram muito a atuação da turma. Após o teatro, ainda houve apresentação de dança e música também contra a Dengue. Veja como foi.

Vista parcial do auditório com alunos e pais de alunos do 5º Ano


Vitória Angélica comandou as apresentações.



Autoridades presentes, como o Sr. Prefeito e o Secretário Municipal de Educação


Confira a peça e os flashes da apresentação.
O SUPER-INFORMADO CONTRA A DENGUE
CENÁRIO: Sala de aula, ao fundo um cartaz da CF 2011. Professora se prepara para dar aula. Alunos estão assentados. O Mosquito da Dengue Macho espia pela janela.
PROFESSORA: __Boa tarde, crianças! Hoje trouxe para vocês um texto que trata de um assunto importante e muito discutido em nossos dias. Vamos ler para saber do que se trata?
ALUNOS: __ Vamos, professora!
(Professora distribui os textos e os alunos fazem uma leitura silenciosa.)
PROFESSORA (Depois que os alunos terminam.): __ E aí? Alguém sabe me dizer qual é o assunto tratado no texto?
(Joãozinho levanta a mão.)
PROFESSORA: __ Você, Joãozinho!
JOÃZINHO: __ O texto fala sobre o Aquecimento Global.
PROFESSORA (para a turma): __ Muito bem. Todos concordam com ele?
ALUNOS (juntos): __ Sim!!!

(Somente o Pedro se mostra desatento e sonolento.)
PROFESSORA (falando com Pedro): __ Pedro, vamos ficar mais atentos e participar da aula, certo?
PEDRO (sonolento): __ Tá, professora!
PROFESSORA (para a turma): __ Já que todos concordamos sobre o assunto do texto, vamos fazer uma leitura em voz alta?
(Os alunos lêem o texto abaixo em voz alta.)
“O aquecimento global é uma consequência das alterações climáticas ocorridas no planeta. As pesquisas confirmam o aumento da temperatura média da Terra. Esse aumento de temperatura é capaz de modificar todo o clima de uma região e afetar muito a vida na Terra, provocando sérios desequilíbrios ambientais. As principais causas do aquecimento global estão relacionadas às atividades humanas que aumentam o efeito estufa através da queima de combustíveis. A queima dessas substâncias produz gases que retêm o calor do Sol. Esse processo causa o aumento da temperatura. As queimadas e os desmatamentos também contribuem para o aquecimento da Terra.”
PROFESSORA: __Muito bem!!! Agora que já sabemos o que é aquecimento global, alguém saberia dizer uma forma de fazer com que ele diminua?
(Alguns alunos levantam as mãos e a professora deixa que eles falem um a um.)
JOÃOZINHO: __ Diminuir o uso de combustíveis fósseis (gasolina, diesel, querosene), dando preferência ao transporte coletivo. Andar a pé ou pedalar é mais saudável que de carro e é uma boa medida.
ANINHA: __ Instalação de filtros nas fábricas para diminuir os gases lançados na atmosfera. Esses gases retêm o calor do sol e aumenta a temperatura na Terra.
FABRÍCIO: __Ampliar a geração de energia através de fontes limpas e renováveis como a hidrelétrica, a dos ventos, das marés, o biodiesel. Em casa, na escola e no trabalho, economizar energia é mais que uma boa ideia.
LUIZA: __Não praticar desmatamento e queimadas em florestas. Pelo contrário, deve-se plantar mais árvores pois elas recolhem o gás carbônico do ar que ajuda a aumentar o efeito estufa.
PATRÍCIA: __Evitar o uso de produtos que liberem gases estufa.
ALINE: __ Ter uma vida mais consciente. Evitar o consumismo e diminuir o uso de plástico e de isopor.
FERNANDA: __ Colaborar para o sistema de coleta seletiva de lixo e de reciclagem. Assim, impede-se que o lixo vá parar em rios e córregos, ou que precise ser queimado, gerando mais gases que aumentam o efeito estufa.
PROFESSORA: __ Então! É justamente sobre o lixo que eu quero falar agora. Além de deixar o ambiente à nossa volta mais feio e parar nos córregos e rios, o lixo pode acabar se transformando em criadouros para o mosquito da dengue. E todo mundo sabe que esta é uma doença muito perigosa.


(Neste momento, o Mosquito da Dengue Macho fica mais atento e, com o dedo indicador faz sinal de que ela está maluca para a plateia.)
MOSQUITO DA DENGUE MACHO (cochichando para a plateia): __ Quê que deu nessa dona? Que ideia mais maluca! Eu, perigoso?! Ela tá querendo manchar minha image diante das crianças. Ah, isso não vai ficar assim! (Se esconde próximo à janela.)
(Na sala, Joãozinho levanta o braço pedindo a vez para falar. A professora atende o pedido.)
JOÃOZINHO: __ É mesmo, professora! Muitos objetos que nós deixamos jogados podem acumular água. E o mosquito da dengue é doidinho por água parada para botar seus ovos.
MOSQUITO DA DENGUE MACHO (para o público): __ Tão vendo? Eu num disse? Essa dona é um perigo!!! Já contaminou a cabeça daquele coitado! Melhor ficar de olho nela. (Se esconde novamente.)
PROFESSORA: __ É isso aí, Joãozinho! O que temos de fazer então é não deixar água acumular em nossos quintais e redondezas.
(Mosquito da Dengue Macho faz novamente sinal de doida para a plateia. Enquanto isso, a professora se aproxima de Pedro para despertá-lo.)
PROFESSORA: __ Pedro, o que foi? Não está se sentindo bem?
(Pedro faz sinal para ela de que está com dor de cabeça. Neste instante, toca o sinal.)
PROFESSORA: __ Até amanhã, crianças e repassem para todos que virem o que aprenderam hoje.
ALUNOS (saindo): __ Até amanhã, professora!
(Pedro aguarda que todos saiam. Quando vai saindo da escola, é chamado pelo Mosquito da Dengue Macho.)


MOSQUITO DA DENGUE MACHO:__ Ei, psiu! Ei, garoto!
(Pedro olha assustado.)
PEDRO: __ Quem é você?
MOSQUITO DA DENGUE MACHO: __ Ah, meu nome é meio compricado. Pode me chamar de MUSQUITO.
PEDRO (arregalando os olhos e dando um passo para trás, com medo.): __O quê????????? O da dengue?
MOSQUITO DA DENGUE MACHO (se fazendo de ofendido): __ Quê isso, camarada? Assim ocê me ofende! Já vi que vosmecê também é daqueles que só pensa em dengue. É dengue pra lá, dengue pra cá...
PEDRO ( se desculpando): __ Desculpa... é que eu não tava prestando atenção à aula, mas acho que a professora falou que o mosquito é perigoso...
MOSQUITO DA DENGUE MACHO (se fazendo de ofendido novamente e gesticulando): __ Que isso rapá! Óia pra mim! Eu tenho cara de pirigoso? Tudo num passa de intriga da oposição.
PEDRO (sem muita certeza): __ Eu... eu acho que não. Afinal de contas, você é tão pequenininho!


MOSQUITO DA DENGUE MACHO (muito feliz): __ Então! Vamo dar uma volta pra comemorar a nossa amizade. Óia, vô te apresentar até a minha esposa.
(Chegam os dois até um monte de vasilhas espalhadas. Mosquito da Dengue Fêmea está tecendo).
MOSQUITO DA DENGUE MACHO (para a esposa): __ Aí, muié! Esse aqui é o...
PEDRO (tímido): __ Pedro.
MOSQUITO DA DENGUE MACHO (para a esposa): __ Cê acredita, muié, que ele tava pensando que a gente é do mal?
MOSQUITO DA DENGUE FÊMEA: __ Num acredito mesmo! Um minino tão inteligente. Veja nossa casa! Tem arguma coisa de pirigoso nela? Veja só: que água fresquinha! Nem uma sujeirinha!
PEDRO (mais confiante): __ É... talvez eu tenha cochilado muito durante a aula. A professora deve ter falado de outro mosquito. Peço desculpas.
MOSQUITO DA DENGUE FÊMEA (dando tapinhas nas costas do menino): __ Tudo bem! Agora é nosso amigo. Vá para casa, senão a sua mamãe fica preocupada. E quando quiser volte. Adoramos ver nossa casa rodeada de crianças alegres.
(Os dois mosquitos acompanham Pedro até a saída. Pelas costas, os mosquitos fazem o tradicional sinal de “tá no papo” em direção à plateia. Depois que ele sai, os mosquitos voltam sua atenção para as vasilhas. O Mosquito Fêmea pega uma lupa e olha para dentro de uma das vasilhas.)
MOSQUITO DA DENGUE FÊMEA: __ Olá, coisinhas fofas da mamãe! Logo... logo... estarão prontinhos para sair voando por aí. Essa é a nossa sina. Ninguém pode nos deter! (Se escondem.)
(Sirene toca. A professora e os alunos se dirigem à sala de aula. Na sala, a professora para diante de Pedro que está cheio de bolinhas vermelhas.)


PEDRO (gemendo de dor): __ Ai, professora! Que dor de cabeça... que dor nos olhos... Meu corpo inteiro dói.
(A professora põe a mão em suas testa e se assusta.)
PROFESSORA: __ Oh, que febrão! Só pode ser dengue! E agora: quem poderá nos ajudar? (Põe uma das mãos à testa.)



SUPER-INFORMADO (entra rápido): __ Eu!!! O Super-Informado!
ALUNOS (aplaudindo): __ Êeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeh!!!!
PROFESSORA: __ Super-Informado, que bom que veio! Pedro está de dengue e não queremos ver mais ninguém doente. O que fazer?
SUPER-INFORMADO: __ Bem, no caso dele é levar ao posto de saúde o mais rápido. No caso da dengue, a informação é sempre o primeiro passo. Todo mundo já sabe o que fazer: acabar com a água parada! Depois da informação, temos que partir para a AÇÃO!!!
ALUNOS (juntos): __ Como assim?
SUPER-INFORMADO: __ Vamos agir! Vamos acabar com a água parada. Vamos tirar de circulação todo material que possa acumular água.



ALUNOS ( juntos): __ Mas é muita coisa. Sozinhos não vamos dar conta.
SUPER-INFORMADO: __ Realmente vocês têm razão. Vamos precisar de toda ajuda. Vamos precisar de você (apontando para alguém na plateia)... você... você...
(Super-Informado vai apontando para várias pessoas na plateia. Enquanto isso, alunos e professora vão catando o lixo e tampando latas. Os mosquitos saem voando com as trouxas nas costas.)


MOSQUITO DA DENGUE MACHO: __ Vamos, querida. Vamos tentar reconstruir nossa família onde tenham pessoas menos informadas. (Saem.)
(Alunos e professora se voltam para o super-herói.)
TODOS: __Obrigado, Super-Informado! Realmente acabamos com a dengue por estas bandas.
SUPER-INFORMADO (para a plateia): __ Não contavam com o poder da informação?

Após o teatro, os alunos apresentaram um número de dança com a paródia de uma música do momento. O texto foi criado pelo professor e alunos e a coreografia ensaiada pelo aluno Alec.
Veja a letra da segunda metade da música.
VOU SIM, A DENGUE NÃO MANDA EM MIM
Ei, tu quer cantar?
Vou sim, quero sim
Posso sim.
A Dengue não manda em mim.
Tô afim, vou sim...

Ei, tu quer brincar?
Vou sim, quero sim
Posso sim.
A Dengue não manda em mim.
Tô afim, vou sim...

Ei, e o teu quintal?
Tá sim, tá limpinho, cuidadinho.
A Dengue não manda em mim.
Tá assim, bem limpinho.

Ei, tá tudo tampado?
Tá sim, tampadinho, bonitinho.
A Dengue não manda em mim.
Tá assim, tampadinho.

Vou sim, quero sim
Posso sim.
A Dengue não manda em mim.
Tô afim, vou sim.

ELENCO DO TEATRO:
Professora: Maria Gabriela
Joãozinho: Gustavo
Pedro: Bruno
Patrícia: Carolina Neris
Aline: Gracielly
Fabrício: Hugo
Aninha: Mariana
Luíza: Glória
Fernanda: Carolina Almeida
Mosquito da Dengue Macho: Alec
Mosquito da Dengue Fêmea: Helena
Super-Informado: Alexandre
Gustavo (Joãzinho), Alec (Mosquito) e Carolina (Patrícia).

Agradecimentos a todos que colaboraram. Parabéns aos atores.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante,
Deixe seu comentário para que, assim, possamos melhorar este Blog e, consequentemente, levar melhores oportunidades de leitura às nossas crianças.

Related Posts with Thumbnails