SEGUIDORES: FAÇA PARTE VOCÊ TAMBÉM!

11 de jun de 2016

Produção de Texto a partir de dobraduras do Minecraft

Trabalho em grupo (montagem do cenário) e Produção de Texto coletiva.

16 de set de 2015

Atividade do Projeto "Sujeitos que vão e que vêm"

No dia 15 de setembro, o 5º ano apresentou a peça teatral "O trânsito que queremos", de autoria do professor Rogério Trindade, para os alunos do 1º ao 5º ano. A atividade estava prevista no Projeto de Educação no Trânsito "Sujeitos que vão e que vêm".

Título: O trânsito que queremos
Autor: Rogério Trindade
PersonagensFada, Motoristas, Pedestre, Cadeirante, Policial, CTB, Semáforo, Semáforo de pedestres, Ciclista, Deficiente visual, Placa de pare, Crianças.

A peça começa com motoristas em movimento, bem como os outros personagens que tentam atravessar uma avenida. Som de barulho no trânsito como freadas, buzinas e batidas. Entra a fada.

Fada (indignada): Para... para tudo! Que confusão! Congela tudo! Eu não dou conta dessa bagunça! E olha que eu sou uma fada!
Motorista: É simples, minha senhora! Os carros são mais velozes! Então é mais justo deixá-los passar primeiro.
Criança de bicicleta: Nada disso! Bicicletas deveriam ter preferência e poderiam inclusive transitar pela calçada. Que problema há nisso?!
Pedestre: Ah é?! E o que será de nós que transitamos a pé? Seremos sempre as principais vítimas da irresponsabilidade dos condutores?
Cadeirante (acompanhado do deficiente visual): Pior para nós que temos de conviver com a pressa, o desrespeito e os obstáculos das calçadas e dos edifícios. Quando não são as cadeiras e mesas dos bares, são os entulhos das construções.
Fada (estressada): Chegaaaa! Cansei dessa bagunça. Eu sou fada dos contos! Já ajudei príncipes e princesas a serem felizes para sempre, mas dessa bagunça não dou conta sozinha! Quem vai me ajudar?!
Policial (entra apitando): Parou! Parou! Problema no trânsito?! É comigo! Desrespeitou a lei?! Desço a caneta. Até criança já sabe como se portar no trânsito. (Pega caneta e papel como que para multar. Entra um grupo de crianças que participam da primeira dança.)
Música: CLUBINHO SALVA VIDAS – EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO – Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=WHnV9_SJhOI
Fada: Mas seu guarda, multas somente não vão ajudar. A vida pede mais que isso. As pessoas precisam aprender a respeitar o direito de ir e vir uma das outras.
Criança: Eu tenho o direito de ir e vir da escola em segurança...
Pedestre: Eu tenho o direito de ir e vir do trabalho com segurança...
Deficiente visual: Eu tenho o direito de ir e vir pelas ruas e calçadas em segurança...
Motorista: Eu tenho o direito de transitar pelas ruas, avenidas e rodovias em segurança...
Policial: Xiiii... Fadinha... (chama a Fada e cochicha. Depois fala): Este é o problema.  todo mundo se achando com muito direito...
Fadinha: Mas estão se esquecendo de que todos também têm deveres no trânsito!

Pedestre: Deveres?! Ih... me deixem fora disso! Já tenho tarefas demais para cumprir. Deveres são para os senhores condutores. Pode olhar no Código de Trânsito!
CTB (entrando): Olaaaaaá! Muito boa tarde! Ouvi meu nome. Muuuuuuuito bem, em que posso ajudar? Se o problema é no trânsito, então é comigo mesmo! Sou o Código de Trânsito Brasileiro!
Policial: Olá, senhor! É que tem gente aqui (faz sinal disfarçado para o Pedestre, o Motorista, o Ciclista) que acha que só tem direitos no trânsito.
CTB: Pooooois  muito enganado quem pensa assim. O Código (aponta para si) é para todos (aponta os outros) sem nenhuma distinção. É para quem anda a pé, de bicicleta, de moto, carroça, carro, ônibus ou caminhão. No trânsito, o mais importante não é o tipo de veículo. É a vida o mais importante.
Cadeirante: E onde entra o Poder Público nessa história? Ainda há calçadas sem rampas e esburacadas. Sobra só para nós essa coisa de direitos e deveres?
CTB: Muito bem lembrado, senhorita! Nossos governantes têm de ser acionados também. Manter semáforos, sinalizações e faixas de pedestres eles podem muito bem. Cadeiras e produtos nas calçadas são coisas que não convém!
Semáforo (entrando nesse momento junto com o Semáforo de pedestre): IuhuuuuuuTava ali de espreita esperando ouvir meu nome. Tamo junto nessa história de respeito no trânsito. Deixar ir e vir é comigo e meu mano aqui (aponta o semáforo para pedestre).
Semáforo de pedestre: É, mas de nada adianta a gente estar lá bonitinhos piscando e alertando se tem gente atrevida que vai logo atravessando. Será que vamos ter de aprender a falar?
Semáforo: Toca aqui, brother! Mandou bem. Tem gente que até nos xinga achando-nos lerdos demais. Não sabem que no trânsito a calma e a harmonia nunca são demais.
Fada: Legal... legal... acho que vamos chegar a um acordo. Mas, junto de vocês dois não está faltando alguém?!
Faixa (já gritando de longe): Aquiiiiiii! (Entra cansada.) Ufa! Cheguei. A cidade está muito movimentada então tive que esperar uma multidão passar. Mas vale a pena. Eu, listradinha da Silva, toda esparramada vendo todos em segurança atravessar. (Dançam juntos a Fada, o Policial, a Faixa e os dois Semáforos e um grupo de crianças que entram.)
Música: CRIANÇA VÊ, CRIANÇA FAZ NO TRÂNSITO TAMBÉM – Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ddLJaRA_NDo
Placa de Pare (gritando de longe): Parem! Stop! Esperem! Vim representar as minhas amigas as placas. Não puderam vir as coitadas. Já imaginou se viessem todas?! Que bagunça ficaria o trânsito!
Motorista: Já está passando da minha hora! Vamos deixar de blá blá blá. A que conclusão devemos chegar?
Faixa: Conclusão?! Eu tenho uma: faixa de segurança não é lugar de veículo parar. Fui feita para as pessoas. Mas tem condutor que não sabe respeitar. Param sobre mim e os pedestres têm que se virar! Isso não é legal!
Placa de Pare: Parem! Stop! Esperem! Acabei de chegar! Deixem da conversa eu também participar!
Deficiente visual: Estamos falando do direito de ir e vir. Mas já chegamos a uma conclusão: no trânsito temos direitos, mas todos também temos deveres.
Placa de Pare: Sim, o direito de ir e vir com segurança... Desse, eu entendo bem! Aliás, se em cada esquina todos me obedecessem, muitos acidentes seriam evitados.
Cadeirante: Não basta termos um conjunto de leis e de sinalização eficientes. Precisamos de cidadãos mais conscientes. Cidadãos que saibam lutar pelos seus direitos, mas que também respeitem os dos outros.
Pedestre: Ah ta! E eu, cidadã, que pago meus impostos em dia e quase não tenho tempo... o que faço? Vou voltar pra escola?
Fada: Todos podem ajudar. O exemplo já é um bom começo. Respeitem a lei e a sinalização, assim estarão respeitando o direito do próximo também.
Policial: Viram só?! A paz no trânsito é possível. Só que precisa ser construída coletivamente. Precisamos envolver todos: autoridades, comerciantes, moradores, condutores, pedestres... Ninguém pode ficar de fora dessa.
Criança de bicicleta: Eu posso começar pelo meu bairro. Vou falar com meus amigos que devemos escolher locais apropriados para andar de bike. Nas calçadas é que não dá. Já vi que alguém pode se machucar!
Cadeirante: Eu vou procurar a Associação do meu bairro. Juntos podemos cobrar da prefeitura e dos vereadores leis e ações que favoreçam o nosso direito de ir e vir.
Fada: Bom... o papo está muito bom, mas acho que já posso voltar para os meus contos de fadas. Tem muita princesa e príncipe para ajudar. Eu já vi que no trânsito não precisamos de magia. Precisamos de respeito. Tchau amiguinhos!
Policial: Espera aí, dona Fada! Me ajuda a colocar as coisas no lugar. (Policial e Fada passam a ajeitar os personagens no lugar que já se preparam para a última dança.)
CTB: Agora que todos já sabem de sua importância no trânsito, fico mais sossegado. Nós somos o trânsito que queremos. Vamos todos em paz com esse pensamento: ir e vir com segurança é um direito de todos.
(Todos dançam juntos.)
Música: O TRÂNSITO É MEU, É SEU, NOSSO TAMBÉM – Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=7xBIvWzbpew



1 de set de 2015

Atividade do Projeto "Sujeitos que vão e que vêm"

Nesta tarde de terça-feira, 1, os alunos do 5° ano apresentaram, nas salas, a peça teatral "Nosso direito de ir e vir". De autoria do professor Rogério, a peça, com personagens de fantoche, fala da importância de todos respeitarem esse importante direito, que é de todos, no trânsito.

23 de ago de 2015

Projeto "Pequenas Corrupções - Tô fora"

Nas salas de aula, o tema foi apresentado na forma de um coro falado que fala das pequenas corrupções e sua proximidade a nós. Em meio ao jogral, situações de corrupção eram dramatizadas.

20 de ago de 2015

Folclore: frases de para-choque e ditados populares

Resgatando a cultura popular! Das frases de para-choque dos caminhões para a sala de aula... um caminho curto para contar a longa história dessas frases que percorrem o Brasil, levando mensagens humorísticas, românticas, religiosas ou de cunho politicas. De carona, frases educativas dentro do Projeto de Educação no Trânsito: "Sujeitos que vão e que vêm". Outro assunto trabalhado na semana foram os ditados populares e seus ensinamentos.

12 de ago de 2015

Atividade do Projeto de Educação no Trânsito: Sujeitos que vão e que vêm

1. Leia o texto:
NA PRAÇA DO PAPA
Motoristas de vans escolares protestam contra resolução do Contran
Órgão determina padronização da frota, trocando vans por micro-ônibus a partir de dezembro; representantes de sindicatos MG, SP, BA e DF foram recebidos pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, na ALMG
Protesto de motoristas de vans escolares na praça do Papa
Protesto de motoristas de vans escolares na praça do Papa
PUBLICADO EM 08/08/15 - 09h05
NATÁLIA OLIVEIRA /GUSTAVO LAMEIRA
Os motoristas do transporte escolar protestam contra a decisão do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em padronizar a frota. A resolução, que determina que todas as vans escolares sejam trocadas por micro-ônibus, começa a valer em dezembro.
Na manhã deste sábado (8), a categoria se reuniu em assembleia na praça do Papa, no bairro Mangabeiras, região Centro-Sul de Belo Horizonte. Cerca de 1.500 veículos participaram do ato.
Depois, representantes de sindicatos do Transporte Escolar dos estados de Minas Gerais, São Paulo, da Bahia e do Distrito Federal se reuniram com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).
Para o presidente do Sindicato dos Transportadores de Escolares da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Sintesc), Carlos Eduardo Campos, a mudança é prejudicial. "Trocar as vans por micro-ônibus acarretaria um alto custo e a questão da mobilidade, para a gente, seria muito ruim”, reclamou.
A reportagem de o TEMPO tentou contato com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para comentar sobre a resolução do Contran, mas nenhum dos telefones atendeu. 

2. O texto que você acabou de ler é:
(A) uma reportagem.         (B) uma charge.
(C) uma notícia.                   (D) científico.

3. Responda, de acordo com o texto que você leu:
a) O que aconteceu?
b) Onde aconteceu?
c) Com quem aconteceu?
d) Por que aconteceu?

4. Onde esse tipo de texto costuma ser publicado? Para quê serve este tipo de texto?

5. Explique como a foto ajuda o leitor na compreensão desse tipo de texto.

6. Quando esse texto foi publicado? Quem são os seus autores?

7. Copie a legenda da foto e circule nela as palavras que começam com letra maiúscula. A seguir, explique o uso de maiúscula no início dessas palavras.

8. Indique, no caderno, qual a ideia expressa pelas palavras e/ou expressões do texto. Responda: TEMPO – INTENSIDADE – NEGAÇÃO – LUGAR – MODO:
a) “em dezembro”
b) “na manhã deste sábado”
c) “muito”
d) “alto”
e) “nenhum”

9. No caderno, coloque O para Opinião ou F para Fato:
a) “Os motoristas do transporte escolar protestam...”
b) A categoria se reuniu na Praça do Papa.
c) Para o presidente do Sintesc, a mudança é prejudicial.
d) “... para a gente, seria muito ruim.”

10. Sublinhe no texto os trechos que se referem às falas de personagens. Que sinal de pontuação é usado para indicar essas falas?

11. Copie, do último parágrafo do texto, os verbos que aparecem e indique o infinitivo de cada um.

12. Leia os trechos e coloque (1) para Causa e (2) para Consequência.
(    ) Para comentar sobre a resolução do Contran.
(    ) A reportagem de O Tempo tentou contato com o Denatran.
(     ) A resolução determina que as vans sejam trocadas por micro-ônibus.
(     ) Os motoristas do transporte escolar protestam contra a decisão.

13. O presidente do Sintesc destacou, como um dos motivos para serem contra a decisão, a questão da mobilidade. Você concorda com ele? Explique.


Atividade do Projeto de Educação no Trânsito: Sujeitos que vão e que vêm

TEXTO 1
1. Leia o texto:

Motoristas não devem “fechar” bicicletas:
Art. 38. Antes de entrar à direita ou à esquerda, em outra via ou em lotes lindeiros, o condutor deverá:
(…)
Parágrafo único. 
Durante a manobra de mudança de direção, o condutor deverá ceder passagem aos pedestres e ciclistas, aos veículos que transitem em sentido contrário pela pista da via da qual vai sair, respeitadas as normas de preferência de passagem.

Ameaçar o ciclista com o carro é infração gravíssima, passível de suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo e da habilitação:
Art. 170. Dirigir ameaçando os pedestres que estejam atravessando a via pública, ou os demais veículos:
Infração – gravíssima;
Penalidade – multa e suspensão do direito de dirigir;
Medida administrativa – 
retenção do veículo e recolhimento do documento de habilitação.


 2. De onde esse texto foi extraído? Como você sabe disso?


3. Consulte o dicionário e explique o que são “lotes lindeiros”.


4. Qual o nome do documento que indica que uma pessoa está autorizada a atuar como condutor de veículos automotores?


5. Escreva outras palavras que sejam acentuadas pelo mesmo motivo que:
a) veículos: __________________________________________________
b) gravíssima: ________________________________________________
c) passível: __________________________________________________


6. Qual o tipo de linguagem utilizada nesse texto? Onde mais costumamos encontrar esse tipo de linguagem?
TEXTO 2
1. A que gênero textual esse texto pertence?
2. Qual o assunto desse texto?
3. O que ele critica?
4. Qual o tipo de linguagem utilizada?
Related Posts with Thumbnails